Instituto Movart – mudando a realidade
14 de agosto de 2017
Jackie Rodrigues (1 artigo)
Compartilhar

Instituto Movart – mudando a realidade

A experiência de mais de vinte anos trabalhando como coreógrafa, diretora artística, produtora, arte-educadora, dançarina e gestora de projetos culturais e esportivos deu mais força de vontade para que Wanêssa Borges conseguisse agora lançar o Instituto das Artes e Movimento (MOVART), uma organização sem fins lucrativos que trabalha para ampliar as oportunidades por meio do esporte, artes, cultura, inclusão e desenvolvimento social. O Instituto também atende crianças e adolescentes em situação de privação, exclusão e vulnerabilidade. Um olhar social pode transformar a vida de muitas pessoas. Tem sido esta a missão da Movart: prestar serviços à comunidade de maneira a, ocasionalmente, mudar a realidade delas.

Crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos em situação de risco social são apoiados para que possam exercer seu direito à cidadania. Nosso maior desafio hoje é promover resultados duradouros, e projetos como esse só têm êxito com o envolvimento das famílias, das comunidades e da sociedade na criação de ambientes que estimulem o desenvolvimento das pessoas. O Movart acredita que é possível, sim, ajudar a comunidade a tornar os indivíduos capazes de liderar mudanças positivas em suas próprias vidas. E quando conseguimos mudar a situação dessas pessoas, nós acreditamos que podemos mudar o mundo se cada um fizer a sua parte. A verdade é que essa missão é um grande desafio: promover esporte, arte e cultura em nosso país é sempre difícil, pois falta apoio e interesse por esse tipo de projeto; o que nos alimenta todos os dias é chegar ao Instituto e ver pessoas de todas as idades se beneficiando das atividades e o quanto a vida delas pode ser transformada com atitudes como a nossa.

 

O Movart beneficia, por meio desses projetos, toda a cidade de Araxá direta e indiretamente, promovendo a cidadania e levando conhecimento aos seus direitos culturais. São parte do Instituto Movart os Grupos Artísticos: • Araxá Dance Company (dança); • Tambores Urbanos (música);

• Ateliê da Cris (artes) Projeto pela Lei Rouanet;
• Cultura Urbana – Arte e Cultura nas Comunidades (patrocínio CBMM) Projeto Parceiro; • Recanto de Memórias (Recanto do Idoso – Conselho Municipal do Idoso).
Além disso, contamos também com o apoio das empresas: CBMM, CLICK, PRECISMEC, REDE SESC, FADA, ASSOCIAÇÃO DOS APOSENTADOS, RECANTO DO IDOSO, ASSOCIAÇÃO ANDAIA, ASKA, FOCO AMBIENTAL e ACECA.

Todas as atividades do projeto são mantidas por meio de doações e contribuições de empresas, pais e alunos, podendo então oferecer atividades diversas, tais como: aulas de dança, música, violão, teclado, piano, coral, musicalização infantil, artesanato, pintura, libras, ginástica terapêutica, aeróbica, alongamento, artes maciais (Kung Fu Kids, Muay Thai, Boxe para Cadeirantes). Temos em nosso projeto profissionais capacitados para atender às necessidades da comunidade também na área de assistência social, psicológica, nutrição e fisioterapia. Dentro dessas atividades o que tem mais se destacado são as aulas de artes marciais, ministradas pelo Gran Mestre Lucio Gonçalves, natural de São Paulo, que há 47 anos deu início à sua carreira como Mestre.

 

Formado pela escola de artes maciais de São Paulo Lee Jun Fan, Gonçalves é especialista em Kung Fu, Shaolin Wing Chun, Kick Box, Tai Chi Chuan e ginástica chinesa. “Vejo com clareza que a minha missão é passar adiante o meu conhecimento dentro da arte marcial chinesa, vejo que no Instituto tenho um trabalho especial sendo realizado dentro da sociedade; não levo só técnicas para o tatame, me preocupo em transmitir valores, filosofia de vida e força de vontade”, afirma o Gran Mestre Lucio. Henry de Luka Martins Andrade tem 10 anos e faz parte do projeto. “O Henry sempre fez atividade física, mas com o Kung Fu, em apenas dois meses já notei mais responsabilidade, disciplina e também aprendeu a ouvir melhor os mais velhos. Na escola ele está mais atento, e a atividade está sendo produtiva”, afirma Cirlene Maria Martins, mãe de Henry.

Para Marcio José da Silva, pai de Márcio Jr de 10 anos, que também faz participa das aulas, os benefícios que a atividade física trouxe para seu filho são visíveis. “Ele fez natação durante um ano e meio, e recentemente o médico recomendou que incluísse mais atividades na rotina; então optamos pelo Kung Fu, que tem sido uma boa experiência. Podemos ver o quanto é trabalhada a disciplina”, afirma o pai. De forma geral, os pais perceberam que seus filhos apresentaram melhoras não só disciplinares, mas também na ética e na saúde, o que se torna perceptível à formação de bons hábitos, valores e maior vínculo familiar. Tais depoimentos evidenciam a importância do esporte em todas as idades. A qualidade de vida é um direito de todos, e proporcionar isso a essas pessoas é o dever do MOVART.

Compartilhe!
Jackie Rodrigues

Jackie Rodrigues

Designer gráfica, formada em publicidade, e atualmente atua como Representante Comercial da Revista Triângulo Esporte