Adrenalina máxima – conheça o airsoft
26 de dezembro de 2017
Triângulo Esporte (25 artigos)
Compartilhar

Adrenalina máxima – conheça o airsoft

Um esporte para os fãs de Call of Duty, Counter Strike e outros clássicos dos games delirarem com tamanha riqueza de detalhes.

Um esporte interativo, que simula situações de combate, vem ganhando adeptos no Brasil. Chamada de Airsoft, a atividade de aventura é parecida com o paintball, mas ainda mais real. A convite da equipe de Airsoft Black Ops, de Araxá, a revista Triângulo Esporte foi conhecer o esporte, que utiliza armas de pressão regulamentadas pelo Exército e disparam bolinhas de plástico. O Airsoft é um esporte interativo e envolve a simulação de batalhas militares e policiais de forma realista. Seus jogadores participam vestidos com equipamentos de proteção, as armas utilizadas são apropriadas para o jogo e seus projéteis são os chamados BBs, confeccionados de plástico.

O jogo tem origem no Japão, tendo surgido em meados dos anos 70, e envolve honra e disciplina. Regido por regras, é levado a sério por seus praticantes e instrutores. Inclusive, as armas são réplicas perfeitas de armas famosas, e o esporte é regido pela legislação brasileira. As batalhas podem envolver missões e diferir de acordo com o nível de combate e experiência do jogador, mas com os equipamentos corretos e a regulamentação em dia, a diversão é garantida. Algumas variações de missões incluem capturar bandeira, desarmar mísseis e até um mata-mata zumbis.

Além de divertido, o esporte é saudável; e benefícios físicos, mentais e sociais são proporcionados pelos combates, que podem envolver exercícios de resistência física, habilidades de tiro e trabalho em equipe. Força e coordenação motora também são exigidas no esporte. O corpo é exigido pelo jogo, cujos praticantes podem correr, agachar, pular e esquivar. A coordenação é trabalhada na sincronia com os momentos de tiro e corrida juntamente com os exercícios exigidos pelo combate. A autoconfiança é adquirida e o estresse é aliviado. O esporte é jogado em equipes, e algumas missões são concluídas apenas com a colaboração de todos, mas o participante pode desenvolver habilidades individuais. Nas batalhas, o jogador tem de dar o melhor de si. Durante a prática do esporte, adrenalina é liberada e proporciona sensação de um misto impressionante de agitação e bem-estar.

O trabalho em equipe, visto no campo de batalha de Airsoft, proporciona companheirismo, cooperação e melhor relação social. Entrevistamos John Célio, fundador do grupo Black Ops, em Araxá. Segundo ele, em 2014 tentou montar um time na cidade com alguns colegas de trabalho da equipe de segurança onde trabalhava, porém não foi possível, pois todos desistiram da ideia. Mas John persistiu… Amadureceu a ideia por mais dois anos e em 2016 fundou o GBO (Grupo Black Ops) de Araxá. Em apenas um ano de atividades esportivas com dedicação, muito esforço e perseverança de cada um dos operadores do GBO, o grupo conseguiu realizar o primeiro evento regional de Airsoft em Araxá, onde várias equipes puderam participar. O evento ganhou o nome de Operação Platoon, analogia a um grande sucesso das telas, ganhador de Oscar, um dos maiores clássicos de guerra da história do cinema moderno. A disputa aconteceu nas ruínas do Hotel Rádio, em Araxá, e contou com aproximadamente 240 operadores de diversas cidades. O evento foi todo baseado em acontecimentos reais da guerra fria entre Estados Unidos e Vietnã. Um espetáculo sensacional, uma verdadeira operação de guerra, com missões e objetivos variados.

John Célio relata: “No início contamos com o apoio dos amigos Alessandro e Aline, proprietários de uma loja de artigos militares para que o GBO fosse criado. A partir desse ponto foi fundado o nosso primeiro time de Airsoft da cidade! Criamos um grupo em uma rede social e adicionamos os futuros operadores (que é o nome dado aos jogadores de Airsoft) do Grupo Black Ops. Alguns desses operadores não fazem parte do time atualmente, mas contribuíram para a história do GBO. Hoje, acredito que nada seria possível sem a presença desta equipe, que tenho o privilégio e a honra de estar sempre ao lado de cada um deles. O time é deles, sem eles não seria possível o Grupo Black Ops existir e muito menos trazer o Airsoft para Araxá (MG). Só tenho a agradecer-lhes por terem acreditado nesta ideia e por não desistirem!”

O Grupo Black Ops de Airsoft existe há um ano e cinco meses, e desde o princípio o GBO tem como finalidade levar informação e conhecimento sobre o esporte para o público, formar novos operadores para o time, elevando o número de adeptos do esporte na região. Qualquer pessoa pode praticar o Airsoft, desde que tenha mais que 18 anos! “Trouxemos o Airsoft para Araxá para que as pessoas possam quebrar a rotina do dia a dia, praticando uma modalidade desportiva diferente na qual irão encarar desafios diferentes a cada jogo com muita ação, adrenalina e, claro, muita diversão garantida para todos! Nosso grupo se desenvolveu muito rápido, e em poucos meses os operadores fizeram investimentos altos em equipamentos caros! Não é um esporte barato, confesso. Mas paixão a gente não discute. O Airsoft ensina a acreditar em si mesmo, e com isso acreditar no time, carregar a honra, lealdade e responsabilidade de um time”, afirma John.

Com relação às armas e por serem réplicas fiéis, armas de pressão por ação de gás comprimido ou por ação de mola tipo Airsoft fabricadas no país ou importadas – devem apresentar uma marcação na extremidade do cano na cor laranja fluorescente ou vermelho “vivo” a fim de distingui-las das armas de fogo. Dentro do grupo as tarefas são definidas; existem os que definem estratégias, os que fazem os cronogramas e também existe quem cria as missões. O engenheiro do grupo é Gabriel, de 21 anos, responsável por elaborar missões. “Procuro sempre me inspirar em clássicos dos games, assistir filmes, desenhos, ler livros e me basear em operações reais que marcaram a história. Criatividade é essencial, porque toda a dinâmica do jogo, bem como a duração das partidas, depende de mim. Então tento sempre deixar as missões mais reais, mas também brincando com elementos como mísseis, zumbis e outras ideias. Tudo fica mais divertido quando as missões têm um grau de complexidade maior. Já elaborei missões para durar 12 horas de partida. O jogo é realmente algo bem envolvente e é bastante prazeroso elaborar e ver as missões virarem realidade nas partidas”, afirma Gabriel. O grupo Black Ops tem vários trabalhos e projetos que serão realizados em 2018, visando apresentar e trazer mais adeptos a esse esporte que cresce a cada dia.

  • As munições não deixam marcas, então a honestidade dos jogadores é o principal requisito.
  • As réplicas das armas, por segurança, obrigatoriamente têm as pontas vermelhas ou laranjas e são regulamentadas pelo Exército Brasileiro para a prática do Airsoft.
  • São obrigatórios o licenciamento e a nota fiscal das réplicas para o transporte e uso.
  • Para conhecer o esporte e saber mais sobre o Airsoft, acesse a página da Grupo Black Ops em Araxá e agende uma visita a uma das partidas que ocorrem geralmente nos fins de semana.

Compartilhe!
Triângulo Esporte

Triângulo Esporte