Creatina – um suplemento essencial cercado de preconceitos.
16 de dezembro de 2017
Armando Ribeiro Junior (4 artigos)
Compartilhar

Creatina – um suplemento essencial cercado de preconceitos.

Creatina foi abordada no Encontro Internacional de Nutrição Esportiva. Frisemos a creatina por ser pouco compreendida e, por isto, evitada por grande público.

Este ano ocorreu em Phoenix, EUA, o 14° Encontro Internacional de Nutrição Esportiva. O evento reúne pesquisadores de nutrição, descontruindo mitos sobre suplementos. Foi divulgado lá o mais consistente estudo já realizado acerca do whey. Produzido pelo Colégio Americano de Esportes, este estudo derruba definitivamente o mito de que dietas hiperproteicas são nocivas aos rins e ao fígado. No século XIX, bioquímicos alemães relacionaram creatina e performance. Porém a creatina só foi aplicada ao esporte pela URSS, para favorecer os atletas soviéticos. Em uma década a cretina estava disponível no Ocidente para livre consumo. O Comitê Olímpico autorizou o uso deste nutriente, que é a fusão dos aminoácidos: arginina, glicina e metionina. Aqueles que receiam a creatina, apontam supostos efeitos indesejáveis do produto, efeitos que não existem:

» retenção hídrica

» dano renal.

A creatina não promove retenção hídrica, ela conduz mais nutrientes para dentro das células, isto enche a célula, não sendo um efeito negativo; uma célula repleta de nutrientes realizará síntese proteica eficiente, melhorará a recuperação e favorecerá o anabolismo. No Brasil, o mito da retenção também se sustenta em laboratórios de péssima qualidade, que incluem sódio na creatina para baratear os custos de produção. Creatina verdadeira não possui sódio. Sódio sim promove retenção hídrica.

Creatina não promove dano renal. Seu uso é absolutamente seguro, não só para esportistas, também para quem deseja prevenir o envelhecimento. É comum a indicação de creatina para idosos, para melhoria da qualidade de vida, para fornecimento de energia, também para coibir perdas de musculatura. Se idosos debilitados têm melhoria com creatina, pessoas saudáveis temem este suplemento sem razão. 

Creatina Pepto Creapure/Performance Nutrition: creatina monoidratada, a forma mais estudada do produto e melhor conhecida cientificamente. Além disto, esta creatina recebe o selo de CREAPURE®. Creapure é um registro de que a creatina em questão é produzida na Alemanha, país que reconhecidamente sintetiza as creatinas mais puras do mundo. Disponível em embalagens de 150 gramas (50 doses) e de 300 gramas (100 doses).

Creatina Black Line/ON – Optimum Nutrition: creatina monoidratada, a forma mais estudada do produto e melhor conhecida cientificamente. Fabricada nos Estados Unidos, passa pelos rigorosos processos de qualidade empreendidos pela ON – Optimum Nutrition. Disponível em embalagens de 150 gramas (50 doses) e de 300 gramas (100 doses).

 

Iron CRE3 Arnold Schwarzenegger Series/MP: aqui temos um exemplo das chamadas creatinas molecularmente modificadas. Estas creatinas são colocadas como muito superiores, embora nada até o momento tenha sido provado. O que pode ser afirmado sem provas, também pode ser negado sem provas. Creatinas molecularmente modificadas, além de muito mais caras, são apenas um apelo do mercado. Este produto vem em embalagens de 127 gramas (30 doses).

 

 

 

 

Compartilhe!
Armando Ribeiro Junior

Armando Ribeiro Junior

Armando Ribeiro Junior (Akira) é mestre em Teoria Literária e mestre em História em Ficção. Acredita no equilíbrio entre a mente e o corpo. Proprietário da empresa Ponto do Suplemento.