Nem só de corrida vive um corredor
16 de dezembro de 2017
Nad Leite Pereira Borges (1 artigo)
Compartilhar

Nem só de corrida vive um corredor

A princípio parece fácil, é só calçar o tênis e sair correndo por aí. Mas quem pratica o esporte sabe que não é bem assim.

Para conseguir melhorar o rendimento e correr distâncias maiores, são necessárias disciplina e dedicação, além de um acompanhamento especializado para evitar lesões e outros possíveis problemas que poderão acabar com a alegria de praticar o esporte. Quero dividir com você, leitor da Triângulo Esporte, um pouco de minha experiência. No começo, eu corria sem planejamento nenhum, meu único objetivo era chegar a distâncias cada vez maiores e não me preocupava com a técnica, a postura, o preparo etc. Nem sabia o que era pace*! Corria do meu jeito, tentando aumentar cada vez mais a distância, mas comecei a adoecer com constância e parei de progredir. Então, decidi buscar informações a respeito da corrida, e é isso que quero compartilhar um pouco nesta matéria. Uma planilha bem preparada, feita para o seu objetivo, é uma grande aliada. Ela deve ser elaborada por um profissional da área, que deverá fazer primeiramente uma avaliação física, conversar sobre seus objetivos e depois estabelecer metas.

As pessoas têm necessidades calóricas e nutricionais diferentes. Um plano alimentar elaborado por um especialista e individualizado é fundamental. Uma alimentação adequada não só oferece os nutrientes básicos e na quantidade certa ao corredor, como também equilibra as necessidades energéticas, permite uma melhor recuperação no pós-treino e reduz a ação dos radicais livres. Quando os treinamentos começam a ficar mais intensos e a quilometragem semanal aumenta, é preciso recorrer ao uso de suplementos para conseguir alcançar os objetivos. Saber qual o suplemento ideal, de acordo com o tipo de treino e competição, faz a diferença no desempenho do esportista, por isso é preciso buscar quem entende do assunto e garantir um bom resultado.

 

Cada atleta tem uma necessidade de repouso diferente; porém, é inegável que ele é necessário a todos os atletas, sem exceção. O descanso é tão importante quanto o treinamento, e para conseguir uma boa recuperação é imprescindível que essa programação seja respeitada. O repouso não só proporciona a recuperação muscular, como também o descanso emocional necessário para a evolução da prática esportiva. Praticar exercícios físicos sem fortalecer os músculos é um grande risco. Muitos corredores não dão a devida importância aos exercícios educativos e à musculação. Temos que considerar que a corrida é um esporte aeróbico com muito impacto, os músculos e as articulações são contraídos constantemente; por esse motivo, é imprescindível realizar um bom fortalecimento muscular para evitar lesões.

Com foco no fortalecimento, de maneira diferente, a técnica Low Pressure Fitness (LPF) tem ganhado espaço. O método aposta em posturas isométricas e técnicas abdominais hipopressivas para fortalecer a área. Os exercícios promovem o relaxamento do diafragma, fazendo com que seja ofertado mais oxigênio aos pulmões, melhorando os padrões sanguíneos e respiratórios. Há também melhoras na postura, no ganho de rendimento, além de um corpo mais forte. Já a massagem desportiva é uma técnica indicada para todos os atletas, tanto amadores quanto profissionais, pois reabilita os tecidos moles do corpo, incluindo músculos, ligamentos e tendões. Esse tratamento é indicado na pré e pós-competição. Antes, ele prepara a musculatura para a prova, e após ele recupera as fibras musculares e elimina os resíduos metabólicos acelerando a recuperação do atleta. Porém, devemos ficar atentos aos profissionais que oferecem o serviço, pois esse tipo de massagem requer um treinamento específico, e caso não seja feita de acordo, poderá não surtir o efeito esperado.

Cuide de sua cabeça! Assim como o psicólogo clínico, o psicólogo esportivo tem papel fundamental, pois ajuda o atleta no seu bem-estar, alcançando, muitas vezes, um melhor rendimento. Atletas de todas as idades e níveis competitivos podem se beneficiar do acompanhamento psicológico. Atletas iniciantes podem aprender a se manter motivados e se concentrar para realizar um movimento ou técnica, o que vai ajudá-lo a evoluir mais rápido no esporte. Atletas de alto nível podem aprender a aperfeiçoar sua técnica e a lidar com a pressão sofrida devido à expectativa do alto rendimento. Algumas das técnicas mais utilizadas no treinamento psicológico incluem controle de ansiedade, estabelecimento de metas e a mentalização (visualização). Quando usadas corretamente e treinadas regularmente, são essas técnicas que caracterizam um atleta forte mentalmente.

“Com a orientação de um educador físico, o atleta se sentirá mais motivado, os treinos se tornarão mais variados e dinâmicos, o que levará a uma maior evolução.”

E para os atletas amadores ainda resta cuidar da família, trabalhar, estudar…
Ufa! Definitivamente, não é só de corrida que vive um corredor!

Compartilhe!
Nad Leite Pereira Borges

Nad Leite Pereira Borges

Venceu recentemente a prova longa (36km) em sua categoria na KTR na etapa Ilhabela. É professora de Português, Inglês e Espanhol no CSD e no Uniaraxá, faz doutorado e é mestra em Estudos de Linguagens pelo CEFET/BH.